Encontro com a boa música em Diadema

O acaso, sem dúvida nenhuma, é o grande agente das situações interessantes e dos encontros significativos. Recebi de uma amiga um convite para uma festa; em sua casa, numa cidade próxima a São Paulo, descobri um personagem cativante."

Ele é o avô dela, septuagenário, dono de birosca conhecida no bairro, professor de instrumentos de cordas: violão, cavaquinho, bandolim. Um Mestre que na ânsia de transmitir aos meninos sua arte, cobrava uns trocados por suas aulas, mas que mesmo assim não conseguiu que num número grande deles surgisse o interesse pela música.

Na sua humilde morada onde conserta e confecciona novos instrumentos, ele saca um pinho e desfia um chorinho, depois me questiona: Conhece essa música? Diante da minha negativa, ele toca mais um pouco e manda: Jacó do Bandolim. Continuamos assim, ele apresentando seus tesouros restaurados e tocando trechos de modas de viola, sambas, choros, eu ouvindo em silêncio respeitoso, atento aos ágeis dedos daquele Senhor que a pouco parecia frágil e que movido pelo prazer de falar da sua arte se enche de energia.

Seo Tide, é assim conhecido esse luthier, músico e professor, que embora hoje descanse após décadas de trabalho, está sempre disposto a descortinar um pouco do passado da nossa música popular no que ela possui de mais genuína e autêntica.

Enfim, nessa vida muitas são as decepções com o desprezo da maioria pela nossa cultura musical riquíssima. O comércio da música embala em lindos pacotes o que de pior existe, vendendo arte como se fosse sabonete. Felizmente, podemos encontrar figuras singulares como Seo Tide, memória viva do melhor que a nossa cultura musical já produziu e exemplo para as futuras gerações.
 


Pierre Masato é um boêmio safra 70. Participou da coletânea de contos Brother Cactus e mantém no ar o blog Speakeasies Jukebox desde 2005. Acredita que o samba de Cartola e Noel Rosa está em conexão direta com o blues de Son House e Howlin Wolf.