CONVERSA DE BOTECO - SEPARAÇÃO

-         Separei  da Magali
-         Até que enfim..
-         Como até que enfim?
-         Faz meses que você fala nisso
-          É, mas agora foi definitivo.
-         Comum acordo, não vão se encontrar nunca  mais?
-         E mais... , tô combinando o que eu vou pegar na casa dela
-         Como?
-         As coisas que você vai deixando no caminho, cds, livros
"aquele livro do Neruda que você me tomou e nunca leu.." ah e um armário azul que eu dei de presente de 2 anos de namoro.
-        Pô, isso não. É baixaria; pegar de volta um móvel?
-        Você não sabe quanto custou aquilo...
-         Não importa. Deu tá dado; cê não vai entrar com um caminhão pra levar aquele armário?
-         É... cê tem razão...
-         O que você não pode deixar é, por exemplo, uma calcinha...
-         Ué, por que não posso deixar uma calcinha que eu dei de presente...?
-         Por que pode ser que com esta calcinha ela vá levar outro cara pra cama no seu lugar. Vai usar um objeto que você deu para seduzir um malandro qualquer...
-         Não tinha pensado por esse ângulo...
-         É..., tem que pensar em tudo.
-         Mas isso eu não preciso me preocupar, eu nunca dei calcinha pra ela ...
-         E a vermelha de seda cheia de lacinhos?
-         Putz, é mesmo, eu dei essa faz tanto tempo.... PÔ !...mas como você sabe dessa calcinha, eu nunca falei nada ...
       -Bem... Cê deve ter falado no dia... sei lá .... Garçon, Garçon traz mais uma cerveja, e rápido.