Sempre aos domingos

Gosto de transar domingo de manhã . As razões são muitas , a primeira ,claro, é não ter que trabalhar. A segunda talvez seja essa minha mania de transgredir o sagrado, e começar o santo dia com prazer e sexo.
Acho que sou um daqueles que foi educado com a idéia de pecado amarrada  a idéia de sexo, e, que sem nenhum tipo de análise ou terapia, ou ajuda profissional (quer dizer , paga)  consegui transformar essa barreira em uma grande sacanagem.
Outra coisa que ajuda é o sol entrando pela janela. Não é noite,não tem cerveja nem uísque, não tem um blues tocando ao fundo, nem Nina Simone , nem Norah Jones, nem o Bolero de Ravel para os amantes mais eruditos e aritméticos.
O que se ouve é um passarinho cantando longe, o vizinho lavando o carro, o aposentado que acorda cedo e vai assobiando uma música do Nelsão Gonçalves comprar o pão da família. Tá pronto o clima para o ataque. Ela ainda meio adormecida , finge que não, mas sabe exatamente as minhas intenções, os sinais são claros , e volumosos (desculpem o lado exibido ).
A atração é mutua, vem dos sonhos ,das encostadas , dos carinhos meio sonolentos e inconstantes, da madrugada que se seguiu ao sábado etílico-cinéfilo-dançante-conversante-musical-esportivo que serviu de divisor de águas (águas ?) do escritório, congestionamento, motoqueiros ,reuniões, credores, bancos,enfim, da semana cheia de dias úteis.e nós rezando pelos dias inúteis de fim de semana.  
Ah domingo de manhã ! domingos kamasutricos ,  tantricos ,despojados, de experiências inusitadas á luz do dia, de amor e de paixão.
Finda a manhã de prazer, a gente se veste e vai para casa.
Sempre com uma boa desculpa na mente de noitada interminável de pôquer para a esposa. Levar pão quentinho  ajuda...